O Bará do Mercado

O Mercado Público não é um espaço restrito ao comércio, também tem grande relevância para as religiões de matriz africana. Essa importância explica-se por acreditarem que ao centro do edifício está assentado o Orixá Bará, que, dentro do panteão africano, é a entidade que abre os caminhos, o guardião das casas e cidades e representa o trabalho e a fartura. “Assentar” significa fixar o orixá em determinado objeto através de práticas rituais específicas. Este objeto – chamado pelos praticantes da religião de ocutá - foi enterrado no chão do Mercado, exatamente no seu centro, significando que o orixá está ali, podendo ser visitado, cultuado e receber oferendas dos adeptos da religião.

Há duas versões para a origem do assentamento, a primeira diz que o Bará foi assentado no centro do Mercado pelos negros que construíram o prédio, sendo esta uma prática comum para atrair a prosperidade comercial. A outra versão atribui ao Príncipe Custódio a iniciativa de assentar o Bará no início do século XX. Não há consenso entre os praticantes de religião e estudiosos sobre o assunto. Seja como for, ambas as versões acenam, por um lado, para a importância original do Mercado Público, enquanto território de negros, e para a ocupação do espaço com o passar dos anos pelos portugueses e membros de outras etnias; e, por outro lado, para a crença que vigora no meio afro-religioso gaúcho, segundo a qual, a longevidade do Mercado Público e sua manutenção centenária, apesar dos incêndios nele ocorridos, devem-se ao Bará que não somente protege o espaço físico, seus trabalhadores e transeuntes, mas também é a fonte de axé e proteção para os seus fiéis e crentes.

No ritual de iniciação de um indivíduo na religião de matriz africana, o primeiro local a ser visitado é Mercado Público, devido à importância que o Bará tem para o iniciado, já que ele abre os caminhos e também porque significa o início de todas as coisas. Este ritual é chamado de passeio, e é presente em todas as religiões de matriz africana no Rio Grande do Sul. As floras são também atrativos para que os afro-religiosos freqüentem o Mercado Público. Flora é um estabelecimento especializado em comerciar produtos e artigos afro-religiosos. No Mercado há quadro delas, cada uma localizada nas entradas do Mercado, sempre à esquerda

Além da prática específica do “passeio” realizado no Mercado, diariamente várias pessoas vêm visitá-lo para receber a força mística do “axé” que está no seu centro. É no Mercado Público também que, geralmente, os pais-de-santo compram os produtos necessários para a realização dos rituais. A própria compra desses alimentos reveste-se de importância, pois ao se comprar no Mercado está se levando junto com os alimentos o “axé”, ou força mística, do Bará que está assentado no prédio. Por fim, o “axé” do Mercado é o mais forte da cidade, já que é o mais antigo.

25 comentários:

  1. Acredito ser de suma importância esta pesquisa feita em memorial.Sinto que esta claro que ali abita um bara, independente dos relatos descritos.O importante e que ali existe,raizes africanas,suor dos nossos ancestrais,HISTORIA!
    E fica claro, que o importante não o achado em material sólido, e sim a clara intenção do nosso Pai Bara,de deixar bem claro sua força ESPIRITUAL E A FÉ DE SEUS FILHOS!!
    Mãe adriane de oxala
    http://adrianedeoxala.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu acredito, com certeza e uma verdade.'.

      Excluir
  2. Bom,eu acho importante a conservação histórica mas sempre temos de ter a prova cientifica, mas se as pessoas gostam dessa teoria,vamos conserva-la assim!!!

    ResponderExcluir
  3. JESUS CRISTO é a nossa SALVAÇÃO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. apoiadíssimo só ele faz milagres e merece adoração!!!

      Excluir
  4. A SALVAÇÃO está na tolerância entre as pessoas, na solidariedade, no respeito a diferença de crenças, na prática de generosidade, amorosidade. A FÉ independente da religiosidade MOVE MONTANHAS.Salve a vida !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. verdade , mais todos sabemos que o único que desceu aqui nessa terra e é o único que merece adoração só o nosso senhor JESUS e eu acho bobagem esse bicho ai no mercado, ainda bem que ta enterrado onde é o lugar dele, para ser pisado por todos!!!!os filhos de Deus! se convertam busquem a verdade Jesus ta voltando para buscar um povo zelozo e de boasobras

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Pisar nas crenças dos outros é ato odioso e é mais fácil que Jesus condene isso do que a diversidade religiosa. Ele só ensinou o amor.

      Excluir
    4. A SALVAÇÃO está na tolerância entre as pessoas, na solidariedade, no respeito a diferença de crenças, na prática de generosidade, amorosidade. A FÉ independente da religiosidade MOVE MONTANHAS.Salve a vida !

      Excluir
    5. A SALVAÇÃO está na tolerância entre as pessoas, na solidariedade, no respeito a diferença de crenças, na prática de generosidade, amorosidade. A FÉ independente da religiosidade MOVE MONTANHAS.Salve a vida !

      Excluir
  5. Diante das cenas que vimos ontem (o mais recente incêndio no Mercado), se alguém ainda tinha dúvidas sobre o poder de Bará e de sua presença naquele espaço... não tem mais!

    Segundo as imagens, todos dávamos a destruição total como certa, no entanto, o prédio está intacto e apenas 10% das lojas e não do mercado em si (sua estrutura) foram atingidas pelo fogo.

    ResponderExcluir
  6. eu prefiro ter outra versão dos fatos,para mim a posse do mercado publico nada mais é do que a reencarnação de NERO!

    ResponderExcluir
  7. O Mercado Publico não pode mais ser local de culto a deuses estranhos. Segundo a bíblia, sendo o culto desses deuses inteiramente mentiroso, prestado a seres completamente inexistentes e destinando-se assim a substituir a adoração do verdadeiro Deus, a Bíblia o apresenta como sendo prestado ao próprio demônio, pai da mentira, que fomentava no mundo esse culto ilusório para afastar os homens da verdadeira noção do Criador; “... os sacrifícios a eles oferecidos, eram endereçados aos demônios: Eles O irritaram adorando deuses estranhos e com as suas abominações O provocaram à ira. Ofereceram sacrifícios, não a Deus, mas aos demônios, aos deuses que eles desconheciam” (Dt 32, 16-17), e: “Todos os deuses das gentes são demônios; mas o Senhor fez os Céus” (Sl 95, 5), e também: “E serviram aos seus ídolos e lhes foi causa de tropeço. E imolaram aos demônios os seus filhos c as suas filhas” (Idem., 105, 36-37), e ainda: “As coisas que sacrificam os gentios, as sacrificam aos demônios, e não a Deus” (l Cor 10, 20).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jose Pedro Borba, por favor, antes de escrever asneiras, estude um pouco as religiões numa maneira geral e sem tendências maldosas. Quando conseguir fazer isso conversamos.

      Anderson Bloise.

      Excluir
  8. Não existe religião mais discriminatória do que a Cristã. Basta falar em um Bará para que todos logo se manifestem e comecem a vomitar slogans invocando o nome de Jesus. Coisa nojenta. A religião, ao contrário do que deveria ser, sempre foi e será o mal da humanidade. As pessoas se isolam em nome da religião, brigam em nome da religião, odeiam em nome da religião, matam em nome da religião e, alguns, perdem tudo em nome da religião. Não basta orar em silencio, sozinho na sua intimidade, e seguir as normas de conduta civilizada? isto sim é seguir os mandamentos de cada religião, de cada um dos seus Deuses.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obs.: continuando, não sou negro e nem sabia o que seria um Bará. Sou apenas uma pessoa batizada na Igreja Católica e que pratica na integra os mandamentos de Deus, ou seja, levo a minha vida respeitando tudo e todos.

      Excluir
    2. PARABÉNS!!! CONCORDO PLENAMENTE COM VC! ESTES SLOGANS TB FAZEM COM QUE EU SINTA NOJO. SALVE BARÁ! FAÇO MINHAS TUAS PALAVRAS!!!

      Excluir
  9. O Bará é um orixá grandioso que protegem o mercado público há anos, e está sim enterra lá, para protegem e da movimento de pessoas para os negócios, e todos que acreditam nele tem o seu axé bom.
    Eu não estou aqui para falar mal de nenhuma religião, mas parece que só as religiões de cristões e evangélicos estão sempre corretos, e não dão chance para as outras e também não espeitam as outras religiões. Então antes de falar qualquer merda, essas pessoas que falam mal deveriam ESTUDAR as outras religiões e depois sim falar qualquer posta. Enfim pelo menos nós Batuqueiros não ficam enchendo a paciência das pessoas perdido para ir a IGRÊJA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh vai mata galinha preta na esquina pro teu demônio. Ele te espera ansioso no inferno quando chegar a tua hora... Ou tu achas q vais pro céu???

      Excluir
  10. Tomei conhecimento dessa historia há 20 atras através do Saudoso Moab Caldas.
    Ele foi um espiritualista e grande conhecedor das religiões afro.
    Ele veio morar em Porto Alegre 7 anos apos o desencarne do príncipe Custodio e manteve contanto com a família do mesmo para saber mais sobre a historia.O Mercado público e um lugar mágico! Alupo! Bará.

    ResponderExcluir
  11. nossa briga nesta terra não são contra a carne e nem contra o sangue , mas contra as potestades espirituais que que iludem os seres humanos e os fazendo brigarem temos que nos amar uns aos outros e saber que é Deus que nos abre os nosso olhos para verdade Dele. Amem bjão no coração de todos sem extinção

    ResponderExcluir